Por que trocar o sinal analógico pelo digital?

Rogério Pires Caetano

O sinal analógico é utilizado no Brasil há mais de 90 anos, e, em termos técnicos, pode ser representado por uma curva. Tal representação mostra uma maior faixa de frequência, ou seja, é possível obter diferentes níveis de sinais, causando oscilações. Já o sinal digital tem como principal característica a diminuição desta mesma faixa de frequência, e por isso é mais difícil ter alterações no sinal.

Com a finalidade de proporcionar um sinal contínuo e de melhor qualidade, as antenas digitais são peças que existem desde 1997 no país, e têm como principal objetivo captar uma melhor imagem para a sua casa. Esta deve ser utilizada juntamente com um receptor, a TV digital, garantindo o recebimento do sinal digital, e, como consequência, a obtenção de uma melhor qualidade de imagens e sons, sem chuviscos e chiados, respectivamente. Para mais, a TV digital aberta oferece imagens em alta definição ou HD.

Mas por que trocar o sinal analógico pelo digital? Muitas propagandas em canais abertos garantem a melhoria do “conjunto televisivo” (som e imagem), mas esse não é o único motivo. O Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações definiu, em junho de 2014, que o sinal analógico será desligado em todo o Brasil até 2018, e a TV digital será o único sinal de TV aberta transmitida, se fazendo necessária a troca pelos aparelhos digitais.

Isso se dá devido às frequências utilizadas no sinal analógico, que passarão a beneficiar operadoras para que aumentem a oferta de redes 4G. Além disso, a TV digital proporciona maior mobilidade na medida em que é possível assistir a programas enquanto estiver em movimento, e também uma maior interatividade para com o telespectador, que pode ver informações detalhadas dos programas, responder às perguntas, etc.

Para aqueles que já possuem a TV digital, é importante verificar a instalação da antena antes mesmo de ligá-la. As tevês mais antigas podem ser adaptadas para que se tornem compatíveis ao sinal através de um investimento em um conversor digital. Outra opção é a compra por uma televisão mais recente, na qual se encontra um conversor digital embutido.

Em ambas as alternativas, é fundamental a conexão com uma antena digital. Porém, existem algumas diferenças e recomendações de acordo com o local em que mora. As antenas UHF (Ultra High Frequency = Frequência Ultra Alta) são aquelas utilizadas para este sinal, e existem modelos sugeridos para casas e apartamentos, assim como modelos protegidos contra raios solares ou raios UV.